Hora local: 01:09
logotipo
Você está aqui: Página inicial

Câmara Municipal aprovou por unanimidade Votos de Pesar por Mário Soares e Guilherme Pinto

2017/01/12

A Câmara Municipal de Marco de Canaveses aprovou, por unanimidade, em reunião do Executivo, realizada, na quarta-feira, 11 de Janeiro de 2017, e por proposta do Presidente da Autarquia Marcoense Manuel Moreira, um Voto de Pesar pelo falecimento do Dr. Mário Soares, Ex- Presidente da República, Ex- Primeiro-Ministro de Portugal, e figura incontornável do período democrático e da História Contemporânea de Portugal.

De igual modo, o Executivo Municipal, aprovou, também por unanimidade, um Voto de Pesar pelo Dr. Guilherme Pinto, Presidente da Câmara Municipal de Matosinhos, que embora tenha renunciado ao mandato de Presidente da Câmara Municipal, por motivo de doença, tal pedido apenas tinha efeito prático, a partir de Fevereiro de 2017.

 

 

Voto de Pesar Dr. Mário Soares

Com a morte do Dr. Mário Soares, desaparece alguém que sempre será recordado como uma das personalidades mais marcantes da história contemporânea de Portugal.

O Dr. Mário Soares é uma das grandes figuras da história portuguesa do século XX e do início do século XXI, e fundador do nosso regime democrático. Pelos cargos cimeiros que ocupou no Estado e pelas decisões de largo alcance que tomou para o País, foi o protagonista político do nosso tempo e aquele que mais configurou a democracia portuguesa nas suas opções fundadoras.

Ao longo de uma vida muito rica e multifacetada, o Dr. Mário Soares deixou uma marca profunda em todas as funções que exerceu, fosse na sua vida profissional, como advogado (em que se notabilizou na defesa dos perseguidos políticos), fosse na sua atividade política, em que merecem destaque o exercício de funções como Presidente da República durante dez anos e como Primeiro-Ministro de três Governos Constitucionais.

Desde muito jovem e durante uma longa vida, combateu pela liberdade, quer na resistência à ditadura do «Estado Novo», que lhe custou a prisão, a deportação e o exílio, quer na luta pela consolidação da democracia constitucional.

Foi em defesa da liberdade e da democracia que confrontou, corajosamente e sem receios, o regime do Estado Novo. Foi em defesa da liberdade e da democracia que enfrentou, com convicção, aqueles que, em 1975, atraiçoando o espírito do 25 de Abril, queriam implantar em Portugal um regime totalitário de esquerda. Foi em defesa da liberdade e da democracia que defendeu, com convicção, a indispensabilidade da participação de Portugal no processo de construção europeia.

Foi também o Dr. Mário Soares um dos responsáveis pela adesão de Portugal à Comunidade Europeia, tendo sido um grande impulsionador da abertura do país à Europa e ao Mundo.

O Dr. Mário Soares está assim indelevelmente ligado à história contemporânea de Portugal e à transformação, abertura e modernização da sociedade portuguesa. Foi o primeiro ministro dos Negócios Estrangeiros da Revolução. Foi o primeiro Primeiro -Ministro da República democrática saída do 25 de Abril de 1974. Foi o primeiro Presidente da República civil. Detentor de um reconhecimento internacional reiterado por distinções e prémios relevantes, o Dr. Mário Soares manteve, ao longo de muitas décadas e mesmo fora do exercício de cargos políticos, uma presença ativa e interveniente na vida cívica, política, social e cultural, pensando, escrevendo e agindo em nome da sua convicção constante na liberdade, na democracia e no progresso social.

Homem de profunda cultura e de convicções fortes, o Dr. Mário Soares lega-nos também um exemplo daquilo que deve ser um político em democracia: alguém que se bate até à exaustão pelas causas em que acredita, mas que sabe sempre fazê-lo com tolerância, com espírito de abertura e com a capacidade para construir os entendimentos que a defesa do interesse nacional exige.

A República Portuguesa é -lhe, por tudo isto, devedora da sua longa e incondicional dedicação à causa pública e do seu exemplar contributo para o prestígio de Portugal.

Mário Soares é, pois, uma figura ímpar e inesquecível da História de Portugal, um combatente pela conquista da Liberdade e pela consolidação da Democracia.

A Câmara Municipal de Marco de Canaveses, manifesta o seu profundo pesar pelo falecimento do Dr. Mário Soares, endereçando as suas mais sentidas condolências à família do Dr. Mário Soares, em particular aos seus filhos, mas também ao Partido Socialista, de que foi fundador e Secretário-geral durante mais de doze anos, consubstanciado como incontornável referência na luta pela liberdade e democracia de Portugal e figura impar e inesquecível da História de Portugal Contemporâneo.

 

 

Voto de Pesar Dr. Guilherme Pinto

O Dr. Guilherme Manuel Lopes Pinto, Presidente da Câmara Municipal de Matosinhos, que muito recentemente tinha renunciado ao cargo, com efeitos a partir do próximo dia 1 de Fevereiro, nasceu em Matosinhos a 21 de abril de 1959.

Licenciado em Direito pela Universidade de Coimbra, foi professor do ensino secundário e exerceu a profissão de advogado.

A nível político, foi deputado quer na Assembleia da República quer na Assembleia Municipal de Matosinhos.

Exercia desde ano de 2005 o cargo de Presidente da Câmara Municipal de Matosinhos depois de ter sido Vereador e Vice-presidente em executivos anteriores.

Além das funções Autárquicas, assumiu funções de presidente do Conselho de Administração da Matosinhos Habit e da Matosinhos Sport, Presidente da ACA - Associação Casa da Arquitetura, entre outras funções em instituições de outras áreas de atividade como o ambiente, transportes e mobilidade, cultura, juventude, desporto, solidariedade social e saúde.

A nível europeu, assumia à data da sua morte a Presidência do Fórum Europeu para a Segurança Urbana (EFUS), membro do Comité de Monitorização do Conselho da Europa, Relator Principal do Conselho da Europa para “Os Poderes Locais e Regionais em França” e presidente do Conselho de Administração da Rede Europeia das Cidades e Escolas de Segunda Oportunidade.

O Dr. Guilherme Pinto, possuía a excelência da argumentação e o gosto pelo debate, amante da sua terra natal, que apostou em transformar num pólo cultural. Homem insaciável no sentido de querer fazer mais para desenvolver Matosinhos, sempre com ideias novas a borbulhar que nos contagiava a todos, um devorador de livros, um amante da cultura, da história, e gostava de entremear as conversas da atualidade com as coisas que estudava, contagiando com o seu entusiasmo tudo e todos.

A Câmara Municipal do Marco de Canaveses, manifesta o seu profundo pesar pelo falecimento do Dr. Guilherme Manuel Lopes Pinto, consubstanciado no reconhecimento de autarca e uma referência, na política, na gestão autárquica e paixão pela sua terra Matosinhos.

 

Outras notícias